eu

que sempre me fiz de longe
sempre me vi de escuro
guardei palavras minhas na sua boca

eu que nem nasci naquele dia
demorei todo meu tempo
de te ver chegar
nascendo

construí escadas para me encostar
enquanto você se arrumava
de flores alaranjadas
em mãos dadas e caminhar

eu rabisquei alguns versos em você
que se formaram passos
que se desenharam em dias
que a gente passa nas janelas

v.abreu

Nenhum comentário: