quieto

se segura no silêncio
impede o estalar dos dedos
o roçar dos pés com o espaço
apenas o ar faz barulho de vento

recorta palavras letra a letra
como quem esquece um poema
que nunca ninguém leu
feito estrela em ponto cego

não diz nada
nunca há nada a dizer
se esconde no que não diz
se revela quando se esconde

apenas deixe como está
sem mexer com as palavras
sem fazer qualquer questão
de sair desse lugar

v.abreu

Nenhum comentário: